Contato | Contact

Brazil

+ 55 (41) 99125 9797

France

+ 33 (0) 6 26 69 25 23

Conecte-se | Connectez-vous
  • White LinkedIn Icon
  • White Facebook Icon
  • White Google+ Icon

E você? Já saiu do automático em busca da sua felicidade?

September 17, 2015

 

Falamos muito sobre a importância de fazer escolhas. E o que significa fazer escolhas? Para mim, é viver plenamente, agir de maneira consciente e conhecer o caminho que quero trilhar! E isso não tem nada a ver com controlar. Não controlamos nada, uma razão a mais para a gente saber escolher.  Nossa liberdade reside na resposta que damos para as situações que a vida nos propõe.

Escolher não é coisa simples não! A cada escolha a gente deixa alguma coisa para trás. A cada escolha fazemos um luto, seja ele miniatura ou muito importante. Dá sempre uma dorzinha deixar a coisa fluir, mas logo vem o prazer de receber o novo. Acho muito melhor trabalhar tudo isso de maneira consciente e tomar as rédeas da vida. Saber por onde ando e por onde quero andar! A consciência me permite de ter plena certeza que não controlo, mas que posso influenciar e muito! 

 

Algumas pessoas acham que podem enganar a vida. Deixam de escolher pensando que a coisa ficará congelada.  Nada disso! A vida continua, e a escolha não é mais possível, pois o automático escolheu por você. Até dá para se enganar e fingir que nada aconteceu, mas de repente a gente acorda. E todos os lutos chegam de uma só vez. E desta vez, os lutos podem doer muito mais!

E o que mexe tanto com a gente na hora de escolher? O nosso sonho de escolher certo! Encontro sempre alguém perguntando: será que esta é a escolha certa? E eu respondo com a simples questão: certa com relação a quê ?

O certo ou errado é relativo, depende de comparação externa. Não dá para viver escolhendo com o foco no externo, ele muda e sua escolha que era considerada certa, ótima, perfeita, passa a ser péssima! Por isso, para fazer escolhas precisamos ter uma mínima noção do que é importante para nós. E de como isso evolui ao longo das diferentes etapas. Vejo muitas pessoas se cobrando de decisões passadas: “se fosse hoje, eu teria tomado outra decisão.” Claro que sim: você mudou! Se eu comparar certas escolhas que fiz aos 20 anos, com certeza seriam radicalmente diferentes do que escolheria hoje aos 50!

O grande lance, é que há escolhas que eu não mudaria de jeito nenhum. Estas estão muito bem amarradas com aquilo que me move, com a minha energia, com tudo que a vida representa para mim. O melhor exemplo disso é minha filha! Não mudaria nada na nossa história. As outras, aquelas que podem variar, são escolhas relacionadas a maneira como decido viver a minha energia.

Mas também existem as escolhas que fiz pelo fato de ter vivido uns aninhos no automático. Poxa! Isso me aconteceu sim! Teve momentos que não refleti com foco na minha essência e não fiz minhas escolhas em função desta minha energia!  Tive que aceitar, parar de me culpar, retomar o caminho da reconexão com minha essência e voltar para minha trilha.

Conhecer nossa essência passa por tornar consciente nossos valores e entender o que nos move, o que nos faz viver plenamente cada momento. É essa nossa essência que nos alimenta de coragem, resiliência e determinação para viver nossas escolhas independentemente do que os padrões sociais determinam.

Como mulher e mãe sei o quanto é importante ter isso claro. Como é importante sair dos jogos atuais que nos direcionam de um lado para ser uma profissional de sucesso e de outro para ser a melhor mãe, a melhor esposa, a melhor filha.

Aqui outra questão: o que é sucesso? O que é ser “ melhor”? A resposta padrão não vai responder a todas as possíveis visões. Por isso, este não pode ser um parâmetro para minhas escolhas.

Encontrar a felicidade é viver em função daquilo que acreditamos e é isso que quero para todos nós!

E você? Já saiu do automático em busca da sua felicidade?

Please reload